Outro PowerPoint killer?

julho 27, 2007

Surge no horizonte um novo candidato ao título de PowerPoint killer: o SlideRocket. Utilizando o Adobe Flex,  a nova ferramenta para aa criação de apresentações parece trazer recursos muito poderosos e uma flexibilidade para o criador inaudita, além da capacidade de trabalhar — na onda da Web 2.0 — tanto online quanto offline e, sendo absolutamente gratuíto, torna-se uma alternativa muito atraente (a bem da verdade, sempre me perguntei por quê pagar mil reais ou mais por uma suite do Microsoft Office se alternativas como o sliderocket; o OpenOffice e o Google Documentos e Planilhas suprem a maior parte de nossas necessidades de maneira gratuíta?). Se você quiser um preview do que o “bichinho” é capaz de fazer, clique aqui.

O verdadeiro PowerPoint killer, aliás, nasceu em 2003 e se chama Keynotes. Produzido pela Apple, ele faz basicamente a mesca coisa que o PowerPoint, mas de maneira muito melhor. Vejam, meus caros, o que diz Paul Maidment, em sua resenha para a revista Forbes:

How does Keynote stack up against PowerPoint? The snapshot summary of our head-to-head user test of the two programs is that they fundamentally do the same thing, and do it well, but Keynote does it with a superior elegance and simplicity of use that is Apple’s design trademark.

e continua:

Keynote’s graphics tools are where the program consistently scores over PowerPoint. Its out-of-the-box templates for the master design sides are fewer in number than PowerPoint’s (Keynote generally has fewer out-of-the-box bells and whistles than PowerPoint, probably a blessing for the forces of good design) but Apple’s choice of typography and color palates are as coordinated and tasteful as one would expect from the company.

Pessoalmente, desde que adquiri um computador Apple, no ano passado, sempre utilizei o Keynotes para criar minhas apresentações convertendo-as posteriormente ao formato do Powerpoint. Vale a pena!

[Via Garotos de Web]

Technorati Tags:

Anúncios

O Office no celular

junho 23, 2007

Após passar a vender celulares absolutamente desbloqueados, a Oi, operadora do grupo Telemar, parte para outra iniciativa ousada: levar o pacote de aplicativos Microsoft Office para dentro do celular.

Disponível para clientes corporativos e com preços a partir de 99,80 Reais, o Oi Office oferecerá acesso de dados ilimitados e uma franquia de 100 minutos para serviços de voz. Os assinantes do novo serviço poderão sincronizar e-mails; calendário e abrir arquivos de qualquer programa do pacote Office. O objetivo da operadora é atingir, principalmente, as pequenas e médias empresas.

Qualquer aparelho que rode o sistema operacional Windows Mobile nas versões 5.0 e 6.0 está apto a utilizar o serviço, em todos os estados em que a Oi opera.

[Via Computerworld]


Microsoft prepara a nova geração do seu ‘iPod Killer’

maio 15, 2007

A Microsoft começa, na surdina, a desenvolver sua nova geração de tocadores de MP3. As novidades não se limitam a reformulação do já conhecido Zune equipado com Hd interno. O novo alvo é o iPod nano, o maior sucesso de vendas da linha iPod, pois tudo indica que em breve veremos nas lojas uma nova linha de players Microsoft equipados com memória flash de, ao menos, 8 GB (há planos, também, para um tocador com 16GB).

O novo Zune com HD será, segundo tudo indica, mais leve e menor do que os produzidos atualmente e sofrerá, sem dúvida, grandes mudanças em seu design (mais do que necessárias, eu diria…). Segundo Jason Raindorp, diretor de marketing do Zune: “There are definitely some cost efficiencies, but the more important thing from our perspective is the flexibility and control we have in creating a device from scratch and making it down to the last component what we want it to be“.

[Via Neowin.net]


O Microsoft SharedView Beta

maio 11, 2007

A Microsoft liberou essa semana para download o Microsoft SharedView Beta (Codename Tahiti), ferramenta da categoria Live.com para suporte remoto e reuniões virtuais, a ferramente é bem simples de operar e contém grandes novidades e beneficios para o compartilhamento de Desktops.

Overview:

  • Suporta comunicação através de Firewalls,NAT e Proxy, mesmo que nas duas pontas da conexão, sem necessidade de qualquer configuração especifica.
  • Suporta até 15 pessoas conectadas na mesma seção realizando Sharing de Desktop. – Suporta o compartilhamento de arquivos de até 100MB por arquivo, limitado a um total de 200MB por seção.
  • Participantes da reunião podem realizar apontamentos na tela do apresentador, sem a necessidade de ter qualquer controle sobre a seção.
  • Apresentador consegue visualizar a posição e movimentação do Mouse dos participantes na tela.

Sistemas Operacionais Suportados:

  • Windows XP SP2 (X86) – Windows Vista (X86/X64)

Requisitos mínimos de Hardware:

  • Um computador com processador de 700 MHz ou mais com os seguintes requisitos:
     
  • Memória: Mínimo de 256 MB de RAM (512 MB recomendados)
  • Disco rígido: 10 MB de espaço livre em disco
  • Vídeo: Resolução mínima de 800 × 600 (1024 × 768 é recomendado)
  • Aplicativos: DirectX 8.0 ou superior instalado
  • Conexão à Internet: Acesso à Internet via banda larga. Conexões mais lentas poderão funcionar, mas a performance será ruim
  • Um Windows Live ID

Licenciamento:

Free (mas vc tem que assistir algumas propagandas durante o processo de conexão, e tem um banner durante o Sharing de Desktop)

Download do Client

Site do Produto

Bonus link:

Technorati Tags:


A Adobe na mira [atualizada]

abril 17, 2007

mssilverlight2.jpgPelo visto, a Adobe está se tornando o alvo preferencial da Microsoft. Semana passada, houve o lançamento do Microsoft Expression Studio — a suite da gigante de Redmond — feita sob medida para concorrer com as ferramentas de desenvolvimento web como o Flash e Dreamweaver.

A ofensiva, é claro, não parou por aí: ontem foi lançado o Microsoft Silverlight, que vem para concorrer com o Flash na área de RIAs (Rich Internet Applications). Para o usuário, a plataforma Silverlight consiste basicamente de um plug-in para navegadores. Ele está disponível  atualmente para Windows e Macintosh e é necessário para que se tenha acesso a conteúdos produzidos para Silverlight. Por enquanto, não há versão para Linux.

Para o desenvolvedor, a Silverlight é um SDK (Software Development Kit) com bibliotecas, documentação, exemplos de código e ferramentas para montagem de aplicações que combinem gráficos vetoriais, animação, vídeo e áudio. Para manipular esses componentes, pode-se usar Ajax e XAML (linguagem baseada em XML adotada pela Microsoft) e os componentes de desenvolvimento estão disponíveis apenas para a plataforma Windows.

Abaixo, um quadro comparativo entre o Silverlight e tecnologias semelhantes a ele:

 silverlight_table2.jpg

Pelo visto, depois de insistir tanto tempo em programas fechados para desktops, a Microsoft começa a trilhar o caminho certo.

Atualização (17/04/2007 às 11h40): Alguns links interessantes:

Technorati Tags: